12 de set de 2009

Só faltava essa




Nos últimos dias apareceu na televisão um suplente de Deputado Federal e presidente da CODEPLAN, Rogério Rosso, apresentando um novo projeto. O Projeto que será apresentado por ele é audacioso, mas em contrapartida é polêmico e no mínimo eleitoreiro, trata-se de um projeto que inclui 6 Municípios vizinhos do Distrito Federal, ao Governo do Distrito Federal, (Águas Lindas, Cidade Ocidental, Santo Antônio do Descoberto, Novo Gama, Valparaíso e Planaltina de Goiás) o que corresponde a 572.000 habitantes.

O presidente da CODEPLAN, diz que isso é uma maneira de diminuir as diferenças sociais, pois essas cidades são dormitórias e esses municípios não se consideram goianos pela distância e estão envolvidos com os problemas do GDF e não do Estado de Goiás. Concordo com ele, mas nós já paramos para pensar o que isso acarretaria para o DF? 572.000 pessoas a mais dependendo de hospitais, de escolas, de segurança, infra-estrutura, sem contar que isso muda toda a estrutura administrativa do DF, pelo principio constitucional teríamos que eleger entre 9 ou 10 deputados federais e o número subiria para 27 ou 30 deputados distritais, os parlamentares do DF estão adorando, mas acredito que os prefeitos e as câmaras municipais não estão gostando nada da idéia, que para ser aprovada é necessário um plebiscito, além da proposta passar pela CCJ da câmara dos Deputados.

Rogério Rosso inclusive registrou em cartório como o criador da idéia, ou seja o pai do projeto, ele é o primeiro pai que eu vejo que ao invés de conseguir uma solução quer arrumar um problema,quer assumir os problemas dos filhos para não serem resolvidos, ele quer trazer mais 572.000 problemas, além de uma briga política com os prefeitos e os vereadores dessas cidades, por que ele não tenta primeiro resolver os problemas das Cidades satélites do DF, que também são dormitórias, e que também requerem solução de problemas como saúde, segurança, educação.

O Descaso do entorno não é assunto recente, ele sempre foi existente mesmo antes da transferência da capital para o Planalto Central, e o que ocorre nessas cidades é infelizmente o que acontece no restante do país que é o desvio de verba pública. O Ministério da Integração Nacional através da secretaria de desenvolvimento do centro – oeste, é responsável por liberação , estudos e manutenção de recursos para cidades do entorno através da RIDE( Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno) a União para o ano de 2009 tem previsão de liberar 8,5 milhões de reais para a região do entorno, com esse dinheiro mais o fundo repassado pelo governo do estado do Goiás além do verba de 1,5 milhões que o GDF repassa mensalmente a região, isso resolve o problema lá, mas se esse municípios se incorporarem o GDF, não resolverá pois não virá verba do Goiás, a União não repassará o valor integral, e a própria renda gerada pelos municípios irão para o cofre único do GDF. É fácil?.

Por isso meus amigos vamos dizer não, e outra é melhor nem pensar em votar nesse Rogério Rosso nas próximas eleições, pois caso ele se eleja teremos que aturar ele defendendo esse projeto absurdo ao invés de resolver os problemas que de fato atrasam o país, o DF já tem problemas de mais, quero que me desculpem os moradores do entorno, mas isso não resolve o problema de vocês e nem o nosso, e piora a situação de todos, vamos dizer não, não e não, e como diziam Kleiton e Kledir:” Eu hein? Nem pensar!




4 comentários:

Antonio Ribeiro disse...

Ví teu comentário no correio braziliense e achei muito boa a tua esplanação, é isso mesmo, você está coberto de razão e parabens pelo blog.

Kika disse...

O problema é que alguns polítics costumam ter ideias muito "genais". Veja o Rosso, a idéia dele foitão boa que ele até patenteou.
Já quiseram dividir o DF, agora ele quer juntar com outras cidades... Tudo por mais algumas cadeiras.

Caio Riter disse...

Dae, Vítor, mas é claro que lembro deste escritor de cordel. Meu abraço forte.

Roselene Cândida disse...

Vítor, este projeto não é apenas um anseio do Rosso não. O Roriz está no meio e, quando ele era governador, ele sempre teve a intenção de construir o "Estado do Planalto Central", justamente para que ele seja eleito o novo chefe do executivo. Os governantes de Brasília nunca esconderam de seus eleitores que a prioridade é o Plano Piloto...e o resto, que é resto para eles, que se explodam!