10 de jun de 2012


                                                         Algo cheira mal na  PMDF

Toda promessa política de campanha tem três pilares fundamentais, saúde, educação e segurança, aqui me restringirei a comentar sobre a segurança pública, pois sempre me dirijo a comentar sobre educação.Brasília nos últimos anos aumentou consideravelmente a sua população e também os índices de violência, claro que nem se comparam a dados de outros Estados, mas se analisarmos em termos  proporcionais é a capital que mais tem crescido o estado de violência. Dados da própria PMDF dizem que somando quartéis e PCS (postos comunitário de segurança), a PM possui 271 unidades, todas elas vigiadas e controladas por policiais militares, com a finalidade de conter a violência.

Mas informações veiculadas no último 04 de junho de 2012, foi anunciado  a mais nova e “brilhante” saída para  resolução de falta de efetivo e combate a criminalidade, o comando da PMDF decidiu contratar empresas de segurança terceirizada para  tomar conta das unidades, segundo o Coronel  Cintra a medida seria para preservar o patrimônio das unidades e liberar 1.400 policiais para rua, agora me respondam o que tem de tanto valor num PCS para precisar de um vigilante tomando conta? Lá tem um computador de péssimas condições e sem internet,  uma cadeira e um banheiro, concordo plenamente em mais policiais na rua, mas para que um vigilante tomando conta disso? É melhor fechar os postos e por policiais na rua, pois muitas vezes os pm’s não podem nem sair de onde estão para atender ocorrências. Ou acontecer como no Guará há tempo atrás que colocaram fogo num PCS.

Já foram  terceirizados os serviços do 190 e não deu certo, e agora querem terceirizar a vigilância do patrimônio da PM? Ou será que na licitação e concorrência terão mais coisas, além de contratação de serviços? Licitação sempre cheirou a sujeira no Brasil, o Coronel ainda diz que trás economia para o Estado pois um policial custa quase três vezes mais que um vigilante, mas terceirizar gera gastos e o preço sairá por quase o mesmo tanto de um policial militar.

Será que o palácio do Buriti e a segurança do governador serão feitas por vigilantes? Isso é um absurdo, é brincar com a cara da população e com a própria corporação da PMDF, com isso o coronel acaba por afirmar que os PCS não resolvem o problema  e a demanda da população, que a policia militar não tem efetivo suficiente para atender o cidadão, e ainda por cima assume que o número de agregados ou seja policiais que não estão a serviço da PM e estão lotado em outro órgãos da administração pública, é uma ingerência total do Estado, que já inclusive colocou vigilantes nas escola públicas do DF e não resolveu o problema de violência nas escolas. Se um cidadão for a um PCS e falar que precisa de um atendimento devido a um assalto e não tiver nenhum PM no posto e que o vigilante irá fazer? Nada, pois não é policial, se fizer algo e der errado de quem é a culpa? Então a finalidade é vigiar um computador velho? Ou controlar entrada e saída de veículos nos quartéis?

Estão terceirizando a policia, A educação, as salas de aula estão abarrotadas de professores temporários, a saúde o hospital de Santa Maria foi uma tentativa de terceirizar a saúde e não deu certo, algo cheira mal na PMDF, os policiais assim como servidores da saúde e educação merecem mais respeito, mais salário digno e moradia, e terceirizar não é a solução, é preciso concurso público e qualificação, e o governo um pouco mais de respeito ao povo, e parar de brincar com nossa cara. Terceirização da PMDF não!

Nenhum comentário: