17 de ago de 2013

Dia 20 de Agosto Dia do Maçom


Compartilhando um excelente trabalho de um Irmão e amigo.

“DIAS” DO MAÇOM

Luiz Alberto Chaves*




O Maçom, por princípio, não deve ter um dia específico para agir maçônicamente. Todos os dias são Dias do Maçom, pois a construção do Templo Interior é um trabalho árduo, diuturno e que leva uma vida para ser concluído.

No entanto, existem datas festivas que são comemoradas em homenagem aos Maçons, quer em âmbito Nacional, quer em âmbito Internacional, como veremos a seguir:

DIA DO MAÇOM BRASILEIRO

É o 20 de Agosto, dia que a CMSB aprovou, durante sua V Mesa Redonda, ocorrida na semana de 17 a 25 de junho de 1957, em Belém, Pará. Há algum tempo comentava-se que, no Brasil, embora existissem dias comemorativos para quase tudo, nenhum havia, entretanto, para o Maçons Brasileiro, que tanto fizera em favor da nossa sociedade, principalmente, no terreno histórico. Na Maçonaria Universal, comemoram-se: a) – o 24 de junho, dia de São João Batista e, em 1717, a fundação da Grande Loja de Londres e Westminster, início da Maçonaria Moderna;

b) - e 27 de dezembro -, dia de São João Evangelista. Não há um dia consagrado ao Maçom,
propriamente dito. A maçonaria brasileira foi a inovadora, e assim mesmo na área das Grandes Lojas, mas que hoje praticamente todos aceitam.

Agora, por que a escolha recaiu no dia 20 de agosto? Porque nesse dia, em 1822, as Lojas "Comércio e Artes", "União e Tranqüilidade" e "Esperança de Niterói", em sessão conjunta, teriam proclamado a Independência do Brasil. A data, por conseguinte, seria das mais significativas.

No entanto, essa escolha foi seguida de muitas críticas, como as seguintes:

- protesto do GOB, reclamando que a escolha foi feita sem a sua participação, o que
comunicaria certa ilegitimidade, considerando-se que, na época da aludida proclamação, a maçonaria brasileira existia sob a sua égide;

- por outro, a data, antecedendo o 7 de setembro de 1822, não seria verdadeira;

- –a aludida sessão teria ocorrido, sim, mas em 9/set/1822, dois dias após o 7 de setembro, sendo que, por equívoco do Barão do Rio Branco, quando converteu a data "maçônica" do documento para o calendário gregoriano, surgiu essa data de 20/08/1822.

O calendário maçônico deve ser baseado no hebraico, que é lunosolar, porque misto,
fundado no movimento do sol e nas fases da lua. No entanto, é muito complexo. Por essa razão, a da complexidade, desvirtuou-se, surgindo alguns calendários "maçônicos" de simplificação:

– um similar ao hebraico, cujo primeiro mês começa a 21 /março e vai até 20/abril, e
assim sucessivamente, adicionando-se 4.000 ao ano civil (deveria ser 3760 anos,
como no hebraico verdadeiro);
– – outro, também similar ao hebraico, porém mais simplificado, começando o ano em
março, mas no seu 1o. dia, adicionando-se então mais 4.000 anos;
– – finalmente, o mais simplificado de todos, em quase tudo igual ao gregoriano, pois
também começa a 1o. de janeiro, diferenciando-se apenas pelo acréscimo dos mesmos
4.000 anos, e que hoje é usado em quase todas as lojas, com a expressão final "de ano
da V.L.", que de verdadeiro não teria nada.

O EQUÍVOCO DO BARÃO


A ata relativa à reunião conjunta das três lojas está maçonicamente datada. Diz que a mesma se realizou no 20º dia do 6º mês do ano de 5822 da V. L. Ao fazer a conversão dessa data para o calendário gregoriano, o Ir. Barão de Rio Branco teria entendido que o calendário maçônico usado, em 1822, seria o que começa o ano em 1º de março, acrescido de mais 4000anos.

Nesse calendário, o 6º mês é agosto e, por conseguinte, como começa também no dia 1º , o 20º dia, obviamente, seria também o 20º de agosto. Daí sua conclusão de que a data "20º dia do 6º mês do ano 5822" seria 20 de agosto de 1822" (5822 – 4000 = 1822).

Entretanto, o calendário maçônico que realmente seria o adotado, em 1822, era o que começa em 21 de março e, por conseguinte, o 20º dia do 6º mês vai cair em 9 de setembro, como a seguir se demonstra:

- Como o ano do Calendário maçônico inicia em 21/03 e o primeiro mês vai desse dia
até 20/04, verifica-se que o 6° mês vai de 21/08 a 20/09.
- Sendo o dia 21/08 o primeiro dia do 6° mês, basta contar 20 dias e teremos que o 20°
dia é, na realidade o dia 09/09.
E, assim, o 20o. dia do 6o. mês do calendário maçônico corresponde, efetivamente, a 9 de setembro, como argumentam os que impugnam a data de 20 de agosto. A aludida proclamação maçônica da Independência teria se constituído, apenas, em algo como uma homologação, do gesto de D. Pedro, a 7 de setembro de 1822. O provável, porém, é que no Rio ainda fosse ignorado o episódio do Ipiranga, ocorrido em São Paulo.

Os fatos da referida Sessão são verdadeiros e merecem a importância que realmente
possuem, pois, no dia 9, ainda não se tinha conhecimento dos acontecimentos do dia 7 de
setembro, em S. Paulo, quando o príncipe-regente, no teatral gesto que a história registrou,
proclamou a independência, na colina do Ypiranga. Mas a verdade histórica tem que ser
reposta."

DIA INTERNACIONAL DO MAÇOM

Nos dias 20, 21 e 22 de fevereiro de 1.994, realizou-se em Washington, nos Estados
Unidos, a Reunião Anual dos Grãos-Mestres das Grandes Lojas da América do Norte (Estados Unidos, Canadá e México).
Na ocasião, estiveram presentes como Obediências Co-Irmãs (Sister Jurisdictions), a Grande Loja Unida da Inglaterra, a Grande Loja Nacional Francesa, a Grande Loja Regular de Portugal, a Grande Loja Regular da Itália, o Grande Oriente da Itália, a Grande Loja Regular da Grécia, a Grande Loja das Filipinas, a Grande Loja do Irã, no exílio; além do Grande Oriente do Brasil, com uma delegação chefiada por seu Grão-Mestre Francisco Murilo Pinto, que ali estava como observador.

Ao encerramento dos trabalhos, o Grão-Mestre da Grande Loja Regular de Portugal, Ir∴ Fernando Paes Coelho Teixeira, apresentou uma sugestão encampada pelos Grão-Mestres de todas as Grandes Lojas dos Estados Unidos e mais as do México e Canadá, no sentido de fixar o dia 22 de fevereiro como o DIA INTERNACIONAL DO MAÇOM, a ser comemorado por todas as Obediências reconhecidas, o que foi totalmente aprovado.
E por quê 22 de fevereiro?

Porque foi no dia 22 de fevereiro de 1.732, em Bridges Creek, na Virgínia (EUA), que nasceu GEORGE WASHINGTON, o principal artífice da independência dos Estados Unidos.
Nascido pouco depois do início da Maçonaria nos Estados Unidos - o que ocorreu em 23 de abril de 1.730, no estado de Massachussets - Washington foi iniciado a 4 de novembro de 1.752, na "Loja Fredericksburg nº 4", de Fredericksburg, no estado da Virgínia; elevado ao grau de Companheiro em 1.753, e exaltado a Mestre em 4 de agosto de 1.754
Representante da Virgínia no 1º Congresso Continental (1.774) e Comandante-geral das forças coloniais (1.775), dirigiu as operações, durante os cinco anos da Guerra de Independência, após a declaração de 1.776. Ao ser firmada a paz em 1.783, renunciou à chefia do Exército, dedicando-se então aos seus afazeres particulares. Em 1.787, reunia-se, em Filadélfia, a Assembléia Constituinte, para redigir a Constituição Federal e Washington, que era um dos Delegados da Virgínia, foi eleito, por unanimidade, para presidi-la. E, depois de aprovada a Constituição, havendo a necessidade de se proceder à eleição de um Presidente, figura nova na política norte-americana, Washington, pelo seu passado, pela sua liderança, e pelo prestígio internacional de que desfrutava, era o candidato lógico e foi eleito por unanimidade, embora desejasse retornar à vida privada e dedicar-se às suas propriedades.
Como Presidente da República norte-americana, nunca olvidou a sua formação maçônica: ao assumir o seu primeiro mandato, em abril de 1.789, prestou o seu juramento constitucional sobre a Bíblia da "Loja Alexandria nº 22", da qual fora Venerável Mestre em 1.788; em 18 de setembro de 1.783, como Grão-Mestre pro-tempore da Grande Loja de Maryland, colocou a primeira pedra do Capitólio - o Congresso norte-americano - apresentando-se com todos os seus paramentos e insígnias de alto mandatário Maçom. Falecido em 14 de dezembro de 1.799, seu sepultamento ocorreu no dia 18, em sua propriedade de Mount Vernon, numa cerimônia fúnebre Maçônica, dirigida pelo Reverendo James Muir, capelão da "Loja Alexandria nº 22", e pelo Dr.Elisha C. Dick, Venerável Mestre da mesma Oficina.
Como se vê, a criação do DIA INTERNACIONAL DO MAÇOM representou uma
homenagem mais do que justa a um grande maçom, além de também ser historicamente
pertinente.
O Grande Oriente do Brasil, através do Decreto nº 003, de 10/02/95, do seu Grão-Mestre Francisco Murilo Pinto, atendeu à recomendação da reunião das mais importantes potências Maçônicas do mundo, e passa a comemorar o DIA INTERNACIONAL DO MAÇOM a 22 de fevereiro, com plenas justificativas maçônicas e históricas.
No Brasil, comemoram-se também o DIA NACIONAL DO GRANDE ORIENTE DO
BRASIL em dezessete de Junho e, o DIA (NACIONAL) DO MAÇOM, em vinte de agosto.

* Luiz Alberto Chaves é obreiro da A∴R∴ L∴S∴ Loja de Pesquisas Maçônicas do Grande Oriente do Distrito Federal.

Nenhum comentário: