5 de jul de 2014

Educação e Copa do mundo


Muito se fala a respeito da Copa do Mundo no Brasil. Evidentemente há o grupo dos favoráveis e dos contrários, entretanto, apesar das criticas, a Copa do Mundo no Brasil fez o brasileiro repensar em alguns aspectos, como a segurança pública,  a saúde, infra estrutura e também o mais importante a EDUCAÇÃO.

Avaliando a situação da Copa do Mundo no Brasil trouxe a tona um sentimento nacional, os contrários a Copa sentem que esta é a hora de alavancarmos socialmente, os favoráveis a copa encontram-se otimistas e sentem-se bem em estar no país do futebol sediando uma copa do mundo.

Se avaliarmos a situação de  Copas do Mundo,  de 1986 para 2014, quando o México sediou uma Copa do Mundo, um país latino americano pobre que já havia sediado a Copa de 1970. Neste período entre Copas, no México, não ocorreram mudanças significativas no país. O México  tem um IDH baixo, uma alta taxa de analfabetismo e de mortalidade infantil, país dominado por cartéis, e criminalidade, tem muito turismo, mas péssima distribuição de renda, resumindo nenhum legado positivo pós copa.Números que não se podem comparar com a Itália -1990, Estados Unidos 1994, França-1998 , Coréia do Sul e Japão 2002 e Alemanha 2006. Mas é preciso  repensar a real necessidade de uma Copa do Mundo em um país emergente como o Brasil, dentro do BRICS que tem como membro também  a África do Sul ( que sediou a Copa do Mundo em 2010), se compararmos o índice de analfabetismo no grupo, o Brasil tem uma taxa muito próxima da África do Sul, mesmo com avanços significativos dos últimos anos( média de 6,95% segundo a UNESCO) entramos no G-10 de analfabetos junto com Senegal,Etiópia  e Bangladesh,por exemplo. Temos um IDH  menor que o Azerbaijão e Peru, o país sangra com o alto índice de homicídios que matam mais que a guerra do Vietnã e mortes no trânsitos que matam mais que a guerra da Síria.

Quase não se comenta a situação da África do Sul após a Copa de 2010, também pudera o país herdou as dívidas que o povo até hoje paga, o país não decolou em desenvolvimento, ficaram elefantes brancos, pois os estádios são subutilizados e a educação é uma das piores do mundo. Nós poderíamos esperar, não precisávamos de uma copa do mundo agora, não podemos dar um analgésico social no povo despolitizado sem cultura, educação, e fingir que o Brasil não vai mal por que o povo ainda faz carnaval. A promessa era de que os estádios seriam construídos com dinheiro privado e no final o Estado financiou a Copa para os empresários, entre outros desvios. Precisamos equipar as forças armadas, as policias, os bombeiros além de uma remuneração justa, melhorar nossa infra-estrutura, o transporte público.

O Brasil precisa distribuir riqueza e melhorar a educação, precisamos garantir para a educação os royalties de petróleo, definir um percentual do PIB, valorizar profissionais em educação. É necessário mudanças rápidas, mas feitas com planejamento. A desburocratização da educação e sociabilização da educação é urgente ,  podemos ser o país do futebol com uma educação de qualidade, sem o povo sofrendo nos guetos, nas filas de hospitais. Já somos o país do futebol, não precisamos de Copa do Mundo agora, queremos ser o país da educação, da honestidade, uma sociedade Justa e Perfeita passa pela escola e não nos gramados de futebol.

Vítor Andrade

Profº de História



Education and World Cup
* Victor Andrade

Much is said about the World Cup in Brazil . Of course there is the group of favorable and contrary , however, despite the criticism , the World Cup in Brazil did the Brazilian rethink some aspects such as public safety, health , infrastructure , and also the most important EDUCATION .

Assessing the situation of the World Cup in Brazil has brought out a national sentiment, the contrary Copa feel that this is the time to leveraging socially favorable canopies are optimistic and feel good about being in the country hosting the football a world cup .

If we evaluate the situation of World Cups from 1986 to 2014, when Mexico hosted the World Cup , a poor Latin American country that had previously hosted the World Cup in 1970. In the period between World Cups in Mexico , there were no significant changes in the country . Mexico has a low HDI , high illiteracy and infant mortality , country dominated by cartels , and crime , has much tourism but unequal income distribution , summarizing any post copa.Números positive legacy that can not be compared with the Italy -1990 , USA 1994 , France - 1998 South Korea and Japan 2002 and Germany 2006. But it is necessary to rethink the real need for a World Cup in an emerging country like Brazil , within the BRICS whose member also South Africa ( which hosted the World Cup in 2010 ) , if we compare the rate of illiteracy in group , Brazil has a rate very close to South Africa , despite significant advances in recent years ( average of 6.95% according to UNESCO ) entered the G- 10 illiterates along with Senegal , Ethiopia and Bangladesh, for example . We have less than the HDI Azerbaijan and Peru , the country bleeds with the high rate of homicides kill more people than the Vietnam War and the deaths transits kill more people than the war in Syria .

Almost no comment on the situation in South Africa after the 2010 World Cup , the country had been able also inherited the debts which the people paid to date , the country has not taken off in development , were white elephants because the stadiums are underutilized and education is a the worst in the world. We might expect , did not need a world cup now , we can not provide social analgesic without the depoliticized culture, education, people, and pretend that Brazil will not bad for the people that still makes carnival. The promise was that the stadiums would be built with private money and in the end the government funded Cup for entrepreneurs , among other diversions . We need to equip the armed forces, police , firefighters plus a fair return , improve our infrastructure , public transport .

Brazil needs to distribute wealth and improve education , we need to ensure education for the oil royalties , set a percentage of GDP , value education professionals . Rapid change is necessary , but done with planning. The bureaucratization of education and socialization of education is urgent, we can be the country of football with a quality education without hurting the people in the ghettos , in the ranks of hospitals . We're the land of football , we do not need the World Cup now , we want to be the country of education, honesty, and a society Justa Perfect passes by the school and not on the lawns of football.

Victor Andrade
Prof. of History

Nenhum comentário: